Digite o assunto que precisa em nosso blog




quarta-feira

Primeira Leitura de 15/10/2014 - 28ª Semana Tempo Comum - Sta. Teresa de Jesus VgDra, memória

1ª Leitura - Gl 5,18-25

Os que pertencem a Jesus Cristo
crucificaram a carne com suas paixões.

Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas 5,18-25

Irmãos: 

18Se sois conduzidos pelo Espírito,
então não estais sob o jugo da Lei.
19São bem conhecidas as obras da carne:
fornicação, libertinagem, devassidão,
20idolatria, feitiçaria, inimizades,
contendas, ciúmes, iras,
intrigas, discórdias, facções,
21invejas, bebedeiras, orgias,
e coisas semelhantes a estas.
Eu vos previno, como aliás já o fiz:
os que praticam essas coisas
não herdarão o reino de Deus.
22Porém, o fruto do Espírito é:
caridade, alegria, paz,
longanimidade, benignidade,
bondade, lealdade,
23mansidão, continência.
Contra estas coisas não existe lei.
24Os que pertencem a Jesus Cristo crucificaram a carne
com suas paixões e seus maus desejos.
25Se vivemos pelo Espírito,
procedamos também segundo o Espírito, corretamente.
Palavra do Senhor.

Salmo de 15/10/2014 - 28ª Semana Tempo Comum - Sta. Teresa de Jesus VgDra, memória

Salmo - Sl 1,1-2. 3. 4.6 (R. Cf. Jo 8,12)


R. Senhor, quem vos seguir, terá a luz da vida!

1Feliz é todo aquele que não anda * 
conforme os conselhos dos perversos; 
que não entra no caminho dos malvados, * 
nem junto aos zombadores vai sentar-se; 
2mas encontra seu prazer na lei de Deus * 
e a medita, dia e noite, sem cessar.R.

3Eis que ele é semelhante a uma árvore * 
que à beira da torrente está plantada; 
ela sempre dá seus frutos a seu tempo, + 
e jamais as suas folhas vão murchar. * 
Eis que tudo o que ele faz vai prosperar,R.

4mas bem outra é a sorte dos perversos. + 
Ao contrário, são iguais à palha seca * 
espalhada e dispersada pelo vento. 
6Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, * 
mas a estrada dos malvados leva à morte.R.

Evangelho de 15/10/2014 - 4ª-feira - 28ª Semana Tempo Comum - Sta. Teresa de Jesus VgDra, memória

Evangelho - Lc 11,42-46

Aí de vós, fariseus;
ai de vós também, mestres da Lei.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 11,42-46

Naquele tempo, disse o Senhor: 

42Aí de vós, fariseus, porque pagais o dízimo da hortelã, 
da arruda e de todas as outras ervas, 
mas deixais de lado a justiça e o amor de Deus. 
Vós deveríeis praticar isso, sem deixar de lado aquilo. 

43Aí de vós, fariseus, 
porque gostais do lugar de honra nas sinagogas, 
e de serdes cumprimentados nas praças públicas. 

44Aí de vós, porque sois como túmulos que não se vêem, 
sobre os quais os homens andam sem saber.' 

45Um mestre da Lei tomou a palavra e disse: 
'Mestre, falando assim, insultas-nos também a nós!' 

46Jesus respondeu: 
'Ai de vós também, mestres da Lei, 
porque colocais sobre os homens cargas insuportáveis, 
e vós mesmos não tocais nessas cargas, 
nem com um só dedo. 

Palavra da Salvação.

Reflexão do Evangelho de 15 de outubro de 2014 - 4ª-feira - 28ª Semana Tempo Comum - Sta. Teresa de Jesus VgDra, memória

Reflexão - Lc 11, 42-46

Continuando a reflexão de ontem, uma vez que o Evangelho de hoje é a continuidade do diálogo iniciado ontem, viver os valores do Reino e procurar o cultivo da vida interior também não nos exime das práticas comunitárias de fé e religiosidade, conforme nos diz Jesus: "Vós deveríeis praticar isso, sem deixar de lado aquilo". 

A negligência da vivência exterior da fé constitui um ato grave porque a religião tende a tornar-se totalmente subjetiva indo cada vez mais ao encontro dos nossos interesses pessoais e deixando de ser a busca sincera da prática da vontade de Deus e testemunho comunitário de um Deus que é amor e condena o individualismo.

Santa Teresa de Ávila (Santa Teresa de Jesus) - Padroeira dos Professores!

Teresa de Cepeda y Ahumada, nascida em Ávila, na Castela Velha, de nobre família, começou cedo a dar prova de temperamento vivaz, fugindo de casa aos sete anos para buscar o martírio entre os mouros da África, por amor de Cristo. Mas aos 16 anos começou a se embelezar por amor de um simples mortal. E o pai, por um compreensível ciúme, para protegê-la, confiou-a a um convento de freiras.

Aos 20 anos, contrariando os programas paternos, decidiu ser freira. Houve poucos anos de vida regular, pois ela também cedeu a certa moda. As vozes interiores não lhe deram tréguas e ela sentiu um desejo sempre mais insistente de retornar ao primitivo rigor dos carmelitas, sendo objeto de extraordinárias experiências místicas, traduzidas depois, por obediência, em vários tratados de oração mental, citados entre os clássicos da literatura espanhola.

Aos 40 anos ocorre a primeira grande virada na vida desta imprevisível santa de idéias generosas. Depois das aflições interiores, dos escrúpulos e daquilo que na mística é chamado de “noite dos sentidos” — quer dizer, trevas interiores, a prova mais dura de uma alma superar —, dá-se o encontro iluminador com dois santos, Francisco de Borja e Pedro de Alcântara. Estes a repõem no bom caminho, na via da total confiança em Deus.

Em 1562, ela funda em Ávila o convento reformado sob o patrocínio de são José. Cinco anos depois, um outro decisivo encontro: João da Cruz, o príncipe da teologia mística. Os dois foram feitos para se entenderem. Inicia assim aquele singular conúbio, em meio a ardentíssimos arrebatamentos místicos e ocupações práticas do dia-a-dia, que dela fazem a santa do bom senso, uma contemplativa imersa na realidade.

Ela possui a chave para entrar no Castelo interior da alma, “cuja porta de ingresso é a oração”, mas ao mesmo tempo sabe tratar egregiamente de matérias econômicas. “Teresa”, diz ela argutamente, “sem a graça de Deus é uma pobre mulher; com a graça de Deus, uma força; com a graça de Deus e muito dinheiro, uma potência”. Viaja pela Espanha de alto a baixo (era chamada a “freira viajante”) para erigir novos conventos reformados e revela-se uma hábil organizadora.

Escreve a história da própria vida, um livro de confissões extraordinariamente sinceras: “Como me mandaram escrever o meu modo de fazer oração e as graças que o Senhor me fez, eu queria que me tivessem concedido o poder de contar minuciosamente e com clareza os meus grandes pecados”. Morre pronunciando as palavras: “Sou filha da Igreja”. Em 1970, Paulo VI proclamou-a doutora da Igreja.

Padroeira dos professores


Quinze de outubro tem história e tem pessoas fortes empenhadas na luta do magistério, da docência e da educação como um todo por trás dele. 

Sua história começou em 1582, na cidade de Ávila, na Espanha, com a morte de Santa Teresa D’Ávila, que por ser mulher e católica, retratava bem a condição da maioria dos professores nos idos de 1930, época em que se começou, muito modestamente, a se comemorar uma data escolar para os professores. Por isso, Santa Teresa D’Ávila é considerada Padroeira da profissão e assim, o símbolo maior.

terça-feira

Primeira Leitura do dia 12/08/2014 - 3ª-feira da 19ª Semana Tempo Comum

1ª Leitura - Ez 2,8-3,4
Ele fez-me comer o rolo,
e era doce como mel em minha boca.

Leitura da Profecia de Ezequiel 2,8-3,4

Assim fala o Senhor: 

8'Quanto a ti, Filho do homem, escuta o que eu te digo:
Não sejas rebelde como esse bando de rebeldes.
Abre a boca e come o que eu te vou dar'.
9Eu olhei e vi uma mão estendida para mim
e, na mão, um livro enrolado.
Desenrolou-o diante de mim;
estava escrito na frente e no verso
e nele havia cantos fúnebres, lamentações e ais. 

3,1Ele me disse:
'Filho do homem, come o que tens diante de ti!
Come este rolo e vai falar aos filhos de Israel'.
2Eu abri a boca, e ele fez-me comer o rolo.
3Depois disse-me:
'Filho do homem, alimenta teu ventre
e sacia as entranhas com este rolo que eu te dou'.
Eu o comi, e era doce como mel em minha boca.
4Ele disse-me então:
'Filho do homem, vai!
Dirige-te à casa de Israel
e fala-lhes com as minhas palavras'.
Palavra do Senhor.

Salmo do dia 12/08/2014 - 3ª-feira da 19ª Semana Tempo Comum

Salmo - Sl 118,14. 24. 72. 103. 111. 131 (R.103a)

R. Como é doce ao paladar vossa palavra, ó Senhor!

14Seguindo vossa lei me rejubilo *
muito mais do que em todas as riquezas.R.

24Minha alegria é a vossa Aliança, *
meus conselheiros são os vossos mandamentos.R.

72A lei de vossa boca, para mim, *
vale mais do que milhões em ouro e prata.R.

103Como é doce ao paladar vossa palavra, *
muito mais doce do que o mel na minha boca!R.

111Vossa palavra é minha herança para sempre, *
porque ela é que me alegra o coração!R.

131Abro a boca e aspiro largamente, *
pois estou ávido de vossos mandamentos.R.

Evangelho do dia 12/08/2014 - 3ª-feira da 19ª Semana Tempo Comum

Evangelho - Mt 18,1-5.10.12-14
Não desprezeis nenhum desses pequeninos.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 18,1-5.10.12-14

Naquele tempo: 

1Os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram:
'Quem é o maior no Reino dos Céus?'
2Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles
3e disse: 'Em verdade vos digo,
se não vos converterdes, e não vos tornardes como crianças,
não entrareis no Reino dos Céus.
4Quem se faz pequeno como esta criança,
esse é o maior no Reino dos Céus.
5E quem recebe em meu nome uma criança como esta,
é a mim que recebe.
10Não desprezeis nenhum desses pequeninos,
pois eu vos digo que os seus anjos nos céus
vêem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus.
12Que vos parece?
Se um homem tem cem ovelhas, e uma delas se perde,
não deixa ele as noventa e nove nas montanhas,
para procurar aquela que se perdeu?
13Em verdade vos digo, se ele a encontrar,
ficará mais feliz com ela,
do que com as noventa e nove que não se perderam.
14Do mesmo modo, o Pai que está nos céus
não deseja que se perca nenhum desses pequeninos.
Palavra da Salvação.