Digite o assunto que precisa em nosso blog




sábado

Solenidade de Todos os Santos - Santo do dia - 01/11/2014

“Alegrando-se todos no Senhor nesta solenidade...”: assim reza a antífona de entrada. É a Igreja militante que honra a Igreja triunfante e presta à incomensurável multidão de santos que povoam o Reino dos Céus a homenagem que ela não pode prestar individualmente a cada um deles — como sucede no calendário cristão.

“Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus”, promete Jesus no sermão da montanha. Quem são os pobres, segundo Jesus? São as “testemunhas de Deus”, para usar uma expressão de Isaías. Com os pobres, apoderaram-se do Reino dos Céus os mansos, os puros de coração, os misericordiosos, os pacíficos, aqueles que sofrem e que têm fome e sede de justiça, em um mundo no qual vige sempre a lei do mais forte, os perseguidos por causa da justiça e todos quantos são vítimas inocentes da calúnia, da maledicência, da pública ofensa ou do vilipêndio dos manipuladores da opinião pública.

Folheando as páginas deste livro, o leitor pôde encontrar esses sinais em todos os santos que tiveram fé na promessa do Reino dos Céus: a vergonha das violências, dos ultrajes, das torturas e humilhações de que foram alvo, e sobretudo da prova extrema do martírio, da dor física e moral, da aparente derrota do bem e do triunfo dos maus. Os fiéis são convidados a alegrar-se e a exultar com todos esses santos que “passaram à melhor vida”.

A fé nos assegura, diz são Paulo, que somos realmente filhos de Deus e herdeiros do reino, mas esta realidade não é plenamente completa em nosso corpo de carne. Vivemos na esperança, e esta se torna certeza em razão do que cremos.

A origem dessa festa remonta ao século IV. Em Antioquia, celebrava-se no primeiro domingo depois de Pentecostes. No século VII, a data foi fixada em 13 de maio, Dia da Consagração do Panteão a santa Maria dos Mártires. Naquele dia, fazia-se descer da clarabóia da grande cúpula uma chuva de rosas vermelhas. Gregório IV removeu a celebração para o dia 1º de novembro, depois da colheita de outono, quando era mais fácil encontrar alimento para os numerosos peregrinos que, depois dos trabalhos do verão, dirigiam-se em peregrinação à Cidade dos Mártires.

quinta-feira

Primeira Leitura do dia 30/10/2014 - Quinta-feira - 30ª Semana do Tempo Comum - Ano A

Revesti, portanto, a armadura de Deus, a fim de que,
no dia mau, possais resistir e permanecer firmes em tudo.

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios 6,10-20

10Para terminar, irmãos,
confortai-vos no Senhor,
e no domínio de sua força,

11revesti-vos da armadura de Deus,
para estardes em condições de enfrentar as manobras do diabo.

12Pois não é a homens que enfrentamos,
mas as autoridades, os poderes,
as dominações deste mundo de trevas,
os espíritos do mal que estão nos céus.

13Revesti, portanto, a armadura de Deus,
a fim de que no dia mau possais resistir
e permanecer firmes em tudo.

14De pé, portanto!
Cingi os vossos rins com a verdade,
revesti-vos com a couraça da justiça

15e calçai os vossos pés
com a prontidão em anunciar o Evangelho da paz.

16Tomai o escudo da fé,
o qual vos permitirá apagar
todas as flechas ardentes do Maligno.

17Tomai, enfim, o capacete da salvação e o gládio do espírito,
isto é, a Palavra de Deus.

18Com preces e súplicas de vária ordem,
orai em todas as circunstâncias, no Espírito,
e vigiai com toda a perseverança,
intercedendo por todos os santos.

19Orai também por mim,
para que a palavra seja colocada em minha boca
para anunciar corajosamente o mistério do Evangelho,

20do qual sou embaixador acorrentado.
Possa eu, como é minha obrigação,
proclamá-lo com toda a ousadia.

Palavra do Senhor.

Salmo do dia 30/10/2014 - Quinta-feira - 30ª Semana do Tempo Comum - Ano A

Salmo - Sl 143 (144), 1. 2. 9-10 (R. 1a)


R. Bendito seja o Senhor, meu rochedo!

1Bendito seja o Senhor, meu rochedo, +
que adestrou minhas mãos para a luta, *
e os meus dedos treinou para a guerra!R.

2Ele é meu amor, meu refúgio, *
libertador, fortaleza e abrigo;
É meu escudo: é nele que espero, *
ele submete as nações a meus pés.R.

9Um canto novo, meu Deus, vou cantar-vos, *
nas dez cordas da harpa louvar-vos,
10a vós que dais a vitória aos reis *
e salvais vosso servo Davi.R.

Evangelho do dia 30/10/2014 - Quinta-feira - 30ª Semana do Tempo Comum - Ano A

Não convém que um profeta morra fora de Jerusalém.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 13,31-35

31Naquela hora, alguns fariseus aproximaram-se
e disseram a Jesus:
'Tu deves ir embora daqui,
porque Herodes quer te matar.'

32Jesus disse: 'Ide dizer a essa raposa:
eu expulso demônios e faço curas hoje e amanhã;
e no terceiro dia terminarei o meu trabalho.

33Entretanto, preciso caminhar hoje,
amanhã e depois de amanhã,
porque não convém que um profeta morra fora de Jerusalém.

34Jerusalém, Jerusalém!
Tu que matas os profetas
e apedrejas os que te foram enviados!
Quantas vezes eu quis reunir teus filhos,
como a galinha reúne os pintainhos debaixo das asas,
mas tu não quiseste!

35Eis que vossa casa ficará abandonada.
Eu vos digo: não me vereis mais,
até que chegue o tempo em que vós mesmos direis:
Bendito aquele que vem em nome do Senhor.'

Palavra da Salvação. 

Reflexão do Evangelho de 30/10/2014 - Quinta-feira - 30ª Semana do Tempo Comum - Ano A

Reflexão - Lc 13, 31-35


A ameaça de morte não faz com que Jesus se acovarde, a sua resposta é bem clara: "devo prosseguir o meu caminho, pois não convém que um profeta perece fora de Jerusalém". Jesus vai seguir o seu caminho até o fim porque a sua fidelidade ao Pai está acima de todas as coisas, inclusive da sua própria vida, que ele vai entregar livremente em Jerusalém para que o homem seja resgatado do reino da morte. O mundo não quer a vida do profeta, não quer que ele chegue a realizar a sua missão e todos os que são do mundo, religiosos ou não, não toleram a presença do profeta, embora a sua morte contribua para a salvação de todos.

São Frumêncio - Padre portador da paz - Santo do dia 30/10/2014

A história do santo de hoje se entrelaça com a conversão de uma multidão de africanos ao amor de Cristo e à Salvação. São Frumêncio nasceu em Liro da Fenícia. Quando menino, juntamente com o irmão Edésio, acompanhava um filósofo de nome Merópio, numa viagem em direção às Índias. A embarcação, cruzando o Mar Vermelho, foi assaltada e só foram poupados da morte os dois jovens, Frumêncio e Edésio, que foram levados escravos para Aksum (Etiópia) a serviço da Corte.

Deste mal humano, Deus tirou um bem, pois ao terem ganhado o coração do rei Ezana com a inteligência e espírito de serviço, fizeram de tudo para ganhar o coração da África para o Senhor. Os irmãos de ótima educação cristã, começaram a proteger os mercadores cristãos de passagem pela região e, com a permissão de construírem uma igrejinha, começaram a evangelizar o povo. Passados quase vinte anos, puderam voltar à pátria e visitar os parentes: Edésio foi para Liro e Frumêncio caminhou para partilhar com o Patriarca de Alexandria, Santo Atanásio, as maravilhas do Ressuscitado na Etiópia e também sobre a necessidade de sacerdotes e um Bispo. Santo Atanásio admirado com os relatos, sabiamente revestiu Frumêncio com o Poder Sacerdotal e nomeou-o Bispo sobre toda a Etiópia, isto em 350.

Quando voltou, Frumêncio foi acolhido com alegria como o “Padre portador da Paz”. Continuou a pregação do Evangelho no Poder do Espírito, ao ponto de converterem o rei Ezana, a rainha, e um grande número de indígenas, isto pelo sim dos jovens irmãos e pela perseverança de Frumêncio. Quase toda a Etiópia passou a dobrar os joelhos diante do nome que está acima de todo o nome: Jesus Cristo.

São Frumêncio, rogai por nós!

quarta-feira

Primeira Leitura do dia 29/10/2014 - Quarta-feira - 30ª Semana do Tempo Comum - Ano A

Não sirvais como quem busca agradar aos homens,
mas como escravos de Cristo.

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios 6,1-9

1Filhos, obedecei aos vossos pais, no Senhor,
pois isto é que é justo.
2'Honra teu pai e tua mãe'
- é o primeiro mandamento -
que vem acompanhado de uma promessa:
3'a fim de que tenhas felicidade
e longa vida sobre a terra'.
4Vós, pais, não revolteis os vossos filhos contra vós,
mas, para educá-los,
recorrei à disciplina e aos conselhos que vêm do Senhor.
5Escravos, obedecei aos vossos senhores deste mundo
com respeito e tremor,
de coração sincero,
como a Cristo,
6não para servir aos olhos,
como quem busca agradar aos homens,
mas como escravos de Cristo,
que se apressam em fazer a vontade de Deus.
7Servi de boa vontade,
como se estivésseis servindo ao Senhor,
e não a homens.
8Vós o sabeis:
o bem que cada um tiver feito, seja ele escravo ou livre,
ele tornará a recebê-lo do Senhor.
9E vós, senhores, fazei o mesmo para com os escravos.
Deixai de lado a ameaça;
vós sabeis que o Senhor deles e vosso está nos céus
e diante dele não há acepção de pessoas.

Palavra do Senhor.

Salmo do dia 29/10/2014 - Quarta-feira - 30ª Semana do Tempo Comum Ano A

Salmo - Sl 144 (145),10-11. 12-13ab. 13cd-14 (R. 13c)

R. O Senhor cumpre sempre suas promessas!

10Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, * 
e os vossos santos com louvores vos bendigam! 

11Narrem a glória e o esplendor do vosso reino * 
e saibam proclamar vosso poder!R.

12Para espalhar vossos prodígios entre os homens * 
e o fulgor de vosso reino esplendoroso. 
13aO vosso reino é um reino para sempre, * 
13bvosso poder, de geração em geração.R.

13cO Senhor é amor fiel em sua palavra, * 
13dé santidade em toda obra que ele faz. 
14Ele sustenta todo aquele que vacila * 
e levanta todo aquele que tombou.R.